FERNANDO PRESTES 2001-2018
Cochilo após o almoço pode trazer benefícios à saúde

 

Publicado em 21/02/2019 as 6h

Soneca.jpg

Apesar dos benefícios, a soneca não é indicada para qualquer pessoa e deve ser tirada em um período entre 10 minutos a, no máximo, uma hora, dependendo do organismo de cada um.

 

Siesta, soneca, pelequinha.... esses são todos nomes para a mesma coisa: aquele cochilo após o almoço, do qual muitas pessoas gostam de aproveitar. Mas daí vem a pergunta “será que faz bem dormir tão pouco tempo no meio do dia”? O neurologista Raimundo Nonato Rodrigues é professor na Universidade de Brasília e especialista em medicina do sono. Segundo ele, as pessoas que não conseguem dormir a quantidade necessária de horas durante a noite podem se beneficiar com uma sonequinha durante o dia. 

 

“Esse débito de sono pode acarretar prejuízos na atenção, na memória e, consequentemente, até no rendimento profissional. Então para esses indivíduos recuperarem a sua condição de laborativa, eles precisam de uma soneca durante o dia. E aí, nesses indivíduos, a soneca não uma soneca prolongada, de uma hora ou mais, mas uma soneca curta de 15 à 20 minutos e ela é altamente indicada”.

 

Apesar disso, não é todo mundo que tem a recomendação de tirar um cochilo depois do almoço, conforme explica o doutor Raimundo Rodrigues. 

 

“Já outros indivíduos, que dormindo o suficiente durante a noite, e durante o dia nada tem para fazer porque não tem nada na sua agenda, resolve tirar uma soneca, essa soneca vai prejudicar o sono noturno. E dependendo da idade dele, vai acabar até prevalecendo esse sono diurno em detrimento do sono noturno. Quer dizer, ele vai dormir mais, cada vez mais durante o dia e prejudicando cada vez mais no sono noturno”. 

 

Mesmo com esses benefícios, a soneca não é indicada para qualquer pessoa e deve ser tirada em um período entre 10 minutos a, no máximo, uma hora, dependendo do organismo de cada um. Para saber sobre a sua real necessidade é preciso realizar exames específicos sobre o sono. 

 

Repórter Janary Bastos Damacena

Fonte: Agência do Rádio